Jornal do Commercio
foto Giovanni SandesPinga-Fogo - da política para o dia a dia
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

Humberto Costa – da denúncia à briga contra o Whatsapp

Publicado em 28/03/2015, Às 7:25

Humberto costa- diego nigro

JUSTIÇA Antes do vídeo pipocar nacionalmente, senador preferiu ir à Justiça contra aplicativo de mensagens. Dano já está feito e Whatsapp sequer foi ouvido ainda. Foto: Diego Nigro / JC Imagem

 

 

Às 20h43 do dia 20 de março de 2015, uma advogada do senador Humberto Costa (PT) entrou na Justiça contra o Facebook no Brasil (Processo número 0014473-18.2015.8.17.0001). O objetivo era fazer o Whatsapp, um outro negócio de Mark Zuckerberg, tirar do ar um vídeo que começava a pipocar entre usuários do aplicativo.

A gravação começou a circular após o último dia 15 de março, com um personagem até então não identificado, usando camisa da Petrobras, dizendo ter assinado cheques para as empreiteiras Schahin Engenharia e Odebrecht, no valor total de R$ 14 milhões. Ele fala no vídeo que repassou o dinheiro ao empresário pernambucano Mário Beltrão fazer chegar a Humberto Costa, “arrecadador do PT”.

O caso revela a falta de sintonia com as mídias sociais e as novas tecnologias. O Whatsapp é mais uma plafaforma para troca de mensagens e arquivos, que de imediato são replicados em centenas, milhares de cópias. Se antes não fazia sentido, hoje faz menos ainda bater no mensageiro. A mensagem deve ser o foco.

O Blog de Jamildo já deu nome, sobrenome e contexto ao vídeo. No dia 15, Carlos Alberto Nogueira, ex-gerente da Petroquímica Suape, funcionário da Petrobras, falou o que disse, mas em entrevista reforçou tudo. A história ganhou repercussão nacional e Nogueira pode parar na CPI da Petrobras. Humberto nega tudo. Desqualifica Nogueira e diz que vai entrar com processo por calúnia na Justiça.

Enquanto isso, a primeira medida de Humberto diante do vídeo, a ação, ainda está no Judiciário, que deu até a próxima segunda-feira para a empresa de Zuckerberg responder ao processo. Só então vai decidir o que fazer quanto à ação do senador.

 

Leia mais:

JANOT ARTICULA RESPOSTA POLÍTICA À PRESSÃO CONTRA A LAVA JATO

HUMBERTO COSTA E A DIFÍCIL ROTINA DE SER PT

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Quem são o Pepe e o Mercadante de Paulo Câmara?

Publicado em 27/03/2015, Às 14:29

mercadante_sisu

ORIGINAL Mercadante teve o poder diminuído na articulação de Dilma, após trapalhadas. Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

 

Depois do rolo que virou a história do piso salarial dos professores estaduais, políticos locais levantaram a seguinte pergunta, ao mesmo tempo uma provocação: quem são o Pepe Vargas e o Aloizio Mercadante de Paulo Câmara?

Para quem não leu, o caso do piso dos professores envolve uma questão política que, pela inabilidade da frente política de Paulo, terminou virando um inquérito civil do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), como publicado na Pinga-Fogo ainda nesta sexta-feira (27). Você pode ler clicando aqui.

Como as trapalhadas da frente política de Paulo até agora tinham consequências relativamente pequenas, políticos locais não tratavam do assunto como grave, nem brincavam demais com o tema. A maioria dos comentários ainda fica nos bastidores, mas nesta sexta os críticos se soltaram mais.

A pergunta mais ouvida hoje foi esta: quem são o Pepe e o Mercadante de Paulo?

Pepe Vargas, ministro de Relações Institucionais da presidente Dilma Rousseff (PT), deveria cuidar da articulação política, mas após vários tropeços, perdeu a capacidade de negociação com o Legislativo e ganhou até um apelido, Pepe Legal, de tanto que sua cotação está em baixa. Já é cotado para demissão.

Aloizio Mercadante, ministro da Casa Civil, em tese seria o “primeiro-ministro” de Dilma. Mas teve o papel reduzido após os desastres consecutivos na articulação política da presidente com o Legislativo. Nos bastidores também ganhou apelido, Freddy Mercury, pelo seu característico bigode.

O secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, é o responsável pela articulação política de Paulo. Mas no caso do piso dos professores, por exemplo, o secretário de Administração, Milton Coelho, está na linha de frente das negociações. E até o nome do prefeito Geraldo Julio (PSB) é lembrado, como no caso da eleição da Mesa Diretora da Assembleia.

E para você, quem seria a dupla?

 

Leia mais:

ERRO NA ARTICULAÇÃO POLÍTICA DE PAULO VIRA INQUÉRITO CIVIL NO MPPE

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Erro na articulação política de Paulo vira inquérito civil no MPPE

Publicado em 27/03/2015, Às 6:42

 

Professores

PARALISAÇÃO Professores já haviam decidido parar por 48 horas. Foto: Lucio Neto/via comuniQ

 

O governo Dilma Rousseff (PT) se esforça para mostrar como é que se erra na articulação política. Mas a equipe do governador Paulo Câmara (PSB) correu por fora e, depois de falhas pequenas na Assembleia Legislativa, desta vez armou uma bagunça de fazer inveja às confusões de Dilma em Brasília: a questão do piso dos professores.

Antes de mais nada, é bom deixar claro que, na crise, o Estado tem pouca ou nenhuma margem para dar reajustes ou nomear concursados, pois está na iminência de romper um limite da Lei de Responsabilidade Fiscal que dispara restrições para o governo inteiro.

Sim, a situação é séria a esse ponto. Mas se de um lado o governo não comunica isso claramente à população, até para que cada um entenda suas medidas, por outro deve tomar cuidado com a medida da força. Na negociação com a polícia às vésperas do Carnaval, bem ou mal pulamos uma greve. Na negociação com os professores, já houve paralisação de advertência. Agora a conversa desandou.

Erros técnicos e de articulação levaram uma questão política para o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que só entrou porque o Projeto de Lei 79/2015, enviado pelo governo à Assembleia, é muito ruim. Pegou todo mundo de surpresa e, para quem entende do riscado, é um texto que deixa clara a tentativa de driblar o piso nacional dos professores. Não menciona a legislação federal e distorce a regra. Passa uma mensagem errada, de que o governo tentou ser “espertinho”.

Ora, não tem essa de “espertinho”, óbvio. A situação do caixa é grave. O cuidado do governo está certo. Mas se havia impasse, porque enviar o projeto à Assembleia? O texto péssimo, de quebra, virou inquérito civil no MPPE (ao entrar no link, digite 37 no menu superior).

Precisava?

———

Leia mais:

PEQUENO ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA

——–

Abaixo, confira a íntegra do projeto de lei:

Projeto de Lei Ordinária Nº 79/2015 

Ementa:
Corrige os valores nominais de vencimento base dos cargos públicos indicados.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO

 

Art. 1º Fica fixado em R$ 1.917,78 (mil, novecentos e dezessete reais, e
setenta e oito centavos) o valor nominal do piso salarial profissional do
magistério, com jornada laboral mensal de 200 (duzentas) horas-aula, instituído
pela Lei Complementar nº 112, de 6 de junho de 2008.

Parágrafo único. Ficam igualmente fixados, no mesmo valor nominal, na mesma
oportunidade, e para idênticas jornadas, definidos no caput, os valores
nominais de vencimento base, do nível inicial da carreira do cargo público de
Professor com Licenciatura Plena e do Professor com formação em Magistério,
cujos ocupantes lecionem no Ensino Fundamental e/ou no Ensino Médio e não sejam
detentores de habilitação específica.

Art. 2º As disposições da presente Lei são extensivas, no que couber, às
respectivas aposentadorias e pensões, observada a legislação previdenciária em
vigor.

Art. 3º As despesas decorrentes da execução da presente Lei correrão por conta
das dotações orçamentárias próprias.

Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus
efeitos a partir de 1º de janeiro de 2015.

Justificativa

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Você já ouviu falar em Cavalo de Lata?

Publicado em 27/03/2015, Às 5:18

cavalodelata

CARGA Simpático carrinho para substituir carroças com animais transporta até 500 quilos. Foto: Divulgação

 

Você sabe o que é “Cavalo de Lata”?

A ideia foi apresentada na última quarta-feira (26) na Câmara do Recife pelo vereador Marco Aurélio (SDD). Trata-se de uma alternativa às carroças utilizadas por catadores. De acordo com a Associação Brasileira de Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade (Abralatas), um Cavalo de Lata “é um carrinho elétrico que tem o objetivo de acabar com o uso de cavalos que puxam carroças em ambientes urbanos, além de auxiliar catadores de materiais recicláveis em seu trabalho.”

Apesar da relativa desinformação dos vereadores sobre o Cavalo de Lata, como se pode ver no resumo do debate, na Câmara (veja aqui), o projeto é realmente muito interessante

Os pequenos veículos têm capacidade para carregar até 500 quilos de carga e foram criados por um engenheiro gaúcho, Jason Duoni Vargas, de Santa Cruz do Sul.

Abaixo, você pode conferir um bom vídeo produzido pelo Coletivo Catarse sobre o projeto.

 

 

ATUALIZAÇÃO ÀS 11:56

 

Um colaborador da Pinga-Fogo lembrou que a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco possui o projeto Relix, que envolve 100 unidades da chamada Ciclolix. É uma bicicleta equipada também com capacidade para 500 kg de carga, sinalizadas e adaptadas, inclusive com amassador de latinhas.

 

ciclolix

PERNAMBUCANA A Ciclolix é parte de um projeto da Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Foto: Divulgação

 

É também uma boa iniciativa. Para conhecer mais sobre o projeto Relix, que tem patrocínio do Sesi Pernambuco, você pode clicar aqui.

 

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Ex-ministros em série

Publicado em 26/03/2015, Às 7:22

cid gomes

PRIMEIRO Cid Gomes (PROS) estreou a lista de demissões do segundo governo Dilma. Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

 

Março não acabou e a presidente Dilma Rousseff (PT) já anotou no caderninho três ex-ministros neste mandato. O primeiro foi o economista Marcelo Neri, que deixou a Secretaria de Assuntos Estratégicos em fevereiro, de forma discreta. Depois veio Cid Gomes (PROS), que saiu do Ministério da Educação depois de tropeçar na própria língua. Ontem foi a vez de Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência. Ele virou ex depois do vazamento de um polêmico relatório que classificava a situação atual do governo de “caos político”, sobre como o governo federal instrumentalizou blogueiros, usou robôs e até o Instituto Lula, usando dinheiro público ativamente para o plano de poder de seu partido, o PT.

A situação está tão ruim que já se faz até bolão sobre o próximo ministro a cair. Já pensou se Dilma demite mesmo Aloizio Mercadante da Casa Civil, em lugar de escondê-lo? Ou então Pepe Vargas das Relações Institucionais?

Embora na prática Mercadante já tenha sido retirado da linha de frente, o líder do PT no Senado, Humberto Costa, reconhece apenas que a pressão pela saída dele. Mas que é a presidente Dilma, claro, quem vai decidir.

Ela, inclusive, prepara o anúncio de um novo ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB). O titular atual, Vinícius Lages, entrou em 2014 indicado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). A troca é esperada desde janeiro. Seria a primeira substituição deste governo Dilma. Rapidinho ele virou o quarto ex do mandato.

 

Leia mais:

ARMANDO: “GOVERNO DILMA PRECISA EXPLICAR MELHOR O QUE VEM APÓS O AJUSTE

DILMA E O “CRASH POLÍTICO” DE 2015

 

Share

Postado por Giovanni Sandes

Palavras-chave

enviar para um amigo

Site é criado para defender “Fora Dilma” e Temer presidente

Publicado em 25/03/2015, Às 13:00

temer presidente

FOCO Endereço abre com maior facilidade em plataformas mobile, como celulares e tablets. Imagem: Reprodução

 

 

Há quem ache graça, há quem veja com preocupação. O fato é que após as manifestações do dia 15 de março, um domingo de protestos contra a corrupção e o governo Dilma Rousseff (PT), um site apócrifo (anônimo) foi criado para espalhar não só o “Fora Dilma”, mas especificamente para defender que o vice-presidente Michel Temer (PMDB) assuma a principal cadeira do País. E o mesmo site prega que o Movimento Michel Temer Presidente vire a bandeira das manifestações marcadas para o próximo dia 12.

Ao menos por enquanto, o endereço abre com falhas no PC, mas sem problemas em plataformas mobile, como celulares e tablet, o que sugere foco dos criadores para uma rápida popularização.

“No dia 15 de março, o Brasil fez a maior manifestação política da história e mostrou que está cansado de ser feito de bobo. No dia 12 de abril, vamos de novo! Fora Dilma! Michel Temer Presidente!”, escreve o texto.

O endereço lista “15 motivos” para Temer assumir a presidência, traz uma biografia do vice-presidente e um resumo do que seria a reforma política na visão dele.

“Temer mostra respeito pela Constituição Federal e pulso firme, para conduzir os cortes na máquina pública que poderiam voltar a inspirar no brasileiro a sensação de que nossos governantes estão fazendo o melhor contra a crise”, diz o site, em um trecho de texto.

No tradicional “Quem somos”, o site informa: “Michel Temer Presidente é um movimento democrático, horizontal e suprapartidário, conectando o desejo de mudança das ruas com a estrutura institucional da República.”

O endereço mistura hashtags utilizadas há bastante tempo nas redes sociais, como #vemprarua e #manterasconquistas com uma nova, #micheltemerpresidente, essa ainda pouco usada no Facebook, mas bastante utilizada no Twitter.

O interessante é analisar o contexto político do País, em que o PMDB já se coloca como governo de fato e trata Dilma e o PT como figurantes.

O endereço é www.micheltemerpresidente.com

Se quiser entender melhor, clique nos links abaixo e leia mais:

DILMA É A VICE DE TEMER?

DILMA? O FUTURO É DO PMDB

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Assembleia pode reajustar verbas. Só não deve

Publicado em 25/03/2015, Às 9:23

Alepe - gondim

EQUILÍBRIO Por mais que a Alepe por vezes soe desconectada da vida real, devemos esperar mais dos deputados, que sabem do peso da crise atual. Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem

 

 

Não é porque você pode que você deve fazer algo. Lição simples, que vem da educação doméstica, a frase poderia servir de conselho para os 49 deputados da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) nesta conversa sobre reajustar extras e verbas indenizatórias. A Casa tem todo o direito formal de lidar como quiser com a questão, a cargo da Mesa Diretora. Mas o apego à formalidade, sabemos, é também o escudo da omissão.

No País, cada empresa, cidadão, pai, mãe, hoje economiza e faz contas para o mesmo dinheiro render mais. É o mesmo em prefeituras, Estados e governo federal. Tanto que o governador Paulo Câmara (PSB) lançou um plano para economizar R$ 320 milhões ao cortar 20% em telefonia e combustíveis, entre outros. Agora a Alepe fala em reajustar verbas indenizatórias e extras, o tipo de despesas alvo dos cortes de Paulo. É dizer: “o sacrifício de Pernambuco não vale para mim”.

Formalmente, a Assembleia pode reajustar. De novo, porém, uma coisa é poder, outra fazer. Por mais que a Casa de Joaquim Nabuco às vezes soe desconectada da vida real, como cidadãos esperemos mais, ainda que sob risco de quebrarmos a cara outra vez. É crer na sensibilidade da Mesa Diretora e nos demais deputados – que silenciam por não sujar a mão na tinta da formalidade. Pode não parecer, mas políticos têm as bases no mundo real. Sabem do peso e simbolismo de reconhecer e vivenciar esta grave crise em que nós estamos todos juntos.

 

Leia mais:

UCHOA É MENTOR DE FRACASSO NA RECRIAÇÃO DA FRENTE LGBT

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Vereadores evangélicos brigam entre si pela luta antidrogas

Publicado em 25/03/2015, Às 6:12

michelle-collins-580x387

ATACADA Publicamente, Michelle Collins foi alvo de críticas de Luiz Eustáquio três vezes. Foto: Divulgação

 

 

Eles são vereadores do Recife. Ambos evangélicos. Têm como principal bandeira a luta contra as drogas. E brigam entre si. O vereador Luiz Eustáquio (PT) e a vereadora Michelle Collins (PP) protagonizaram nesta terça (24) um novo atrito na Câmara de Vereadores do Recife. Em resumo, Eustáquio acusou Michelle de esvaziar a atuação da frente antidrogas da Câmara. A vereadora teria antecipado sozinha requerimentos que, segundo o vereador, seriam apresentados pela frente. A versão dela é que as medidas foram de autoria própria ainda em 2013, fruto de sua militância de longa data na área.

“Que constrangimento”, diz a vereadora. “Já até levei os ataques dele à Comissão de Ética, mas desisti. Você pergunta o que estaria motivando o vereador. Não sei, sinceramente”, afirma.

O primeiro embate público entre ambos ocorreu quando se soube oficialmente da criação da Secretaria de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas, em fevereiro deste ano.

Michelle Collins, que estreou na Câmara há dois anos, tem uma história familiar de vício – o seu marido, o deputado estadual evangélico pastor Cleiton Collins (PP), na época DJ Banana, foi viciado em drogas -, o que deu a ela um sentido de urgência na área, bem como serviu de alicerce para a sua militância. Ainda em 2013, ela sugeriu a criação da secretaria ao prefeito Geraldo Julio (PSB). Quando a secretaria virou realidade, ela alimentava a expectativa de assumir a pasta. Mas outra representante da frente da área, Aline Mariano (PSDB), virou titular.

EM191114012

HISTÓRICO Eustáquio, como Michelle, tem sua própria trajetória na cruzada antidrogas. Foto: Acervo JC Imagem

 

Eustáquio também tem seu histórico na área, inclusive de longa data. Em 2009 já era presidente da Frente Parlamentar Contra o Crack. Quando a secretaria virou realidade, ele, petista, defendeu Aline Mariano, uma tucana, para a pasta. E criticou Michelle, afirmando que a ideia de criar uma secretaria de enfrentamento às drogas foi dele.

Posteriormente, em novo atrito, Eustáquio afirmou que a vereadora estaria “ouvindo atrás da porta” uma conversa sobre o combate às festas open bar, o que teria resultado na atual bandeira do pastor Cleiton Collins na Assembleia Legislativa.

Agora a confusão envolve os resultados da recente viagem da frente da Câmara a Alagoas, para conhecer a política de enfrentamento às drogas do estado vizinho.

Na data da viagem, o último dia 19 de março, Michelle protocolou três requerimentos à secretária Aline Mariano para: (1) determinar a implantação da política municipal sobre drogas, (2) criar um fundo municipal para o setor e (3) criar centros de referência para o público usuário de drogas.

Por mais que sejam questões claramente sob o possível escopo de uma secretaria recém-criada, Eustáquio não discutiu a inversão entre Executivo e Legislativo, e sim que os três pontos seriam apresentados em conjunto pela frente antidrogas da Câmara. Ou seja, na visão de Eustáquio, que verbalizou a situação no plenário, Michelle “furou” os colegas e tomou para si um mérito que seria coletivo.

“Fiz um documento em abril de 2013 e entreguei ao prefeito com esses pontos, criação do fundo, da política e de casas de referência”, argumenta Michelle. Ela diz que resolveu apenas formalizar o registro na Câmara, bem antes da viagem a Alagoas, há uma semana. Ela diz que levantou o assunto durante a viagem justamente porque já havia deixado os requerimentos assinados, prontos para o protocolo. Ou seja, na visão de Michelle, ele confundiu um assunto levantado por ela com um acerto coletivo.

“Luiz Eustáquio vem sempre com armas em punho contra mim. Não sei porque”, afirma Michelle.

 

Leia mais sobre a Câmara do Recife:

VEREADOR QUER FIM DA GUERRA DE SOM NOS ÔNIBUS

Share

Postado por Giovanni Sandes

enviar para um amigo

Descubra porque 2016 será o ano das oposições

Publicado em 24/03/2015, Às 7:04

Paulo Câmara - FEM

PLATEIA Prefeitos estavam ansiosos pela confirmação do FEM 2015, anunciada por Paulo Câmara. Foto: Roberto Pereira

 

 

As eleições de 2016 serão a campanha das oposições. E não se trata de falar a favor de qualquer partido específico. Quem ocupa uma cadeira de prefeito hoje sofre a falta de dinheiro ainda mais que os governadores ou a presidente Dilma Rousseff (PT). Recursos federais que antes jorravam passaram a ter fluxo menor e irregular. Os prefeitos lutam para deixar em dia a folha de pagamentos, imagine pensar em obras. É questão de tempo o eleitor cobrar do prefeito a rua não calçada, a escola nova – as promessas de 2012.

Pode parecer chiadeira, mas não é. Veja o Recife, uma cidade mais capaz financeiramente de lidar com a crise e que ainda assim não andou com várias obras. É o que faz vários partidos adivinharem tempo ruim para o prefeito Geraldo Julio (PSB), que deve concorrer com muitos nomes. Pense como vai ser no interior, onde a maioria das cidades extrapolou os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Quando o governador Paulo Câmara anunciou que mesmo na crise o Fundo de Desenvolvimento e Apoio aos Municípios (FEM) terá nova edição, a plateia foi à loucura no congresso da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe). É dinheiro livre para investimentos à escolha dos prefeitos, embora ainda haja pendências de 2013 e 2014. E, por tudo que está na mesa, o novo dinheiro vai demorar a sair. De todo jeito, Paulo acerta. Dá sentimento de futuro aos prefeitos. Agora é saber se haverá tempo para eles terem o que mostrar em 2016.

Share

Postado por Giovanni Sandes

Palavras-chave

enviar para um amigo

Pesquisadores de Pernambuco criam Especial Lava Jato

Publicado em 23/03/2015, Às 18:33

MPF infográfico lava jato

FLUXO Quadro do MPF mostra como funcionava esquema de desvios. Grupo da UFPE e UFRPE fez esforço para reunir dados. Imagem: Reprodução

 

 

Um grupo de professores e alunos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) lançou, na última semana, o que chama de Especial Lava Jato. Há informações desatualizadas, mas vale a pena conferir pelo esforço de relacionar informações sobre empresas, partidos e políticos.

Abaixo, confira a apresentação do material feita pelo grupo de pesquisa e extensão Dados BR, responsável pelo Meu Congresso Nacional e pelo site do Especial Lava Jato.

“Este especial é focado na Operação Lava Jato, que investiga as suspeitas de corrupção na Petrobrás, e relaciona os dados de todas as empresas relacionadas com todos os políticos investigados, além dos partidos políticos. No Especial Lava Jato é possível ver os valores recebido em doações de campanha por todos os partidos políticos e por todos os parlamentares relacionados na investigação, além de informações adicionais como os documentos oficiais de pedidos de investigação feitos pelo Ministério Público Federal. Também é possível visualizar como foi o mandato dos políticos na última legislatura, de 2011 a 2014, relacionando assim o financiamento de campanha com a atividade parlamentar.

O grupo responsável pelo site trabalha desde o final de 2013 com dados abertos governamentais e fiscalização pública, já tendo recebido alguns prêmios como o 1o lugar na primeira Maratona Hacker da Câmara dos Deputados, e o 1o lugar no concurso Cidadão Inteligente, promovido pela Prefeitura do Recife. O representante do grupo está com viagem marcada para os Estados Unidos, para participação no congresso internacional DG.O 2015 (http://dgo2015.dgsociety.org/), onde serão apresentados e discutidos os impactos do Meu Congresso Nacional nas Eleições 2014.”

 

Para conhecer, clique aqui.

LEIA MAIS

JANOT ARTICULA RESPOSTA POLÍTICA À PRESSÃO CONTRA A LAVA JATO

BEZERRA COELHO COGITA “PRESSÃO EXTERNA” NA LISTA DE JANOT

 

Share

Postado por Giovanni Sandes

Palavras-chave

enviar para um amigo

Fotos do dia

Centenas de torcedores compareceram para comprar o seu ingresso antecipado
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

> JC Imagem

Centenas de torcedores compareceram para comprar o seu ingresso antecipadoMuita reclamação por causa do atendimento precárioA Polícia Militar agiu para organizar a filaA Polícia Militar agiu para organizar a filaCentenas de torcedores compareceram para comprar o seu ingresso antecipado

Arquivos da Coluna

OFERTAS
OFERTAS
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM