Jornal do Commercio
foto Verônica AlmeidaTudo sobre saúde pública de Pernambuco.
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

Quatro faculdades interessadas na disputa por curso de medicina em Jaboatão

Publicado em 24/09/2014, Às 21:51

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, assina na tarde desta quinta-feira (25/09), em Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife, termo de compromisso com a prefeitura, habilitando a cidade a receber um eventual curso de medicina. Segundo a secretária municipal de Saúde, Jessiane Paulino, três faculdades de Pernambuco já sinalizaram interesse em oferecer a graduação, assim como uma escola de Sergipe. A disputa só deverá se concretizar a partir do momento em que o Ministério da Educação abrir edital para as instituições de ensino candidatarem seus projetos. A expectativa é de que no máximo até 2016 Jaboatão seja sede da formação médica. A rede de saúde instalada na cidade é suficiente para servir de ambiente prático, conforme Jassiane. O serviço público municipal conta com 90 unidades de saúde da família, 12 do modelo básico, oito centros especializados e uma UPA 24 horas, além de uma maternidade de alto risco em construção. Além disso, no território há UPA estadual, um hospital também do Estado e três conveniados ao SUS. “Nossa rede já é campo de estágio e formação prática de estudantes de medicina e de outras áreas da saúde”, informa a secretária municipal. O sistema recebe estudantes da UPE, UFPE, Faculdade Pernambucana de Saúde e deve estabelecer convênio com a Faculdade Medicina de Campina Grande (PB). O município também está se habilitando para receber cursos de residência médica, assim como já ocorre no Recife. “É importante a integração do serviço com o ensino e, com isso, esperamos absorver profissionais formados aqui”, explica a secretária. Em Pernambuco, oferecem cursos médicos a UPE (Recife, Garanhuns e Serra Talhada), UFPE (Recife e Caruaru), além da FPS, Maurício de Nassau e mais recentemente a Unicap, todas na capital.

UPA abreta pela Prefeitura de Jaboatão este ano, em Sotave/ Divulgação

UPA aberta pela Prefeitura de Jaboatão este ano, em Sotave/ Divulgação

 

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Caps regionalizados para suprir a carência psicossocial

Publicado em 18/09/2014, Às 5:12

Começou nesta quarta-feira (17/09) no Recife e prossegue, nesta quinta (18/09), em Olinda (na Aeso), um seminário para discutir a rede de assistência psicossocial. É promovido pela Gerência Estadual de Saúde Mental e pelo Conselho dos Secretários Municipais de Saúde, que vêm sendo pressionados pelo Ministério Público a dar soluções nesse campo. São diárias as queixas da população, com tratamento limitado no SUS para neurose, psicose ou dependência química. Seguindo orientação do Ministério da Saúde, o Estado já desenhou uma rede regionalizada de Caps, para facilitar a implantação desses centros, onde o usuário recebe tratamento multidisciplinar e deve ser acolhido também nos surtos. A União concede incentivo financeiro para a construção do espaço, mas até o momento só atendeu 10% dos pedidos municipais. Além das limitações financeiras, é preciso superar as diferenças políticas entre as cidades, entrave que no passado atrapalhou a formação de consórcios para urgências gerais.

 

Tycanori

JC – Por que a rede de Caps é limitada?
* ROBERTO TYCANORI – Detectamos que os municípios precisam de apoio financeiro, além do que esperávamos, para implantar as unidades. Também faltam psiquiatras no mercado e o número de assistentes sociais e enfermeiros especializados é insuficiente. A regionalização, com serviços operados por fundações ou consórcios intermunicipais, é uma solução. Precisamos de mais vagas de residência em psiquiatria. 
* Tycanori é coordenador nacional de Saúde Mental e está em Pernambuco particiando do seminário

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

As novas regras do CFM para inibir a vaga zero e a desassistência

Publicado em 17/09/2014, Às 19:34

As novas regras definidas pelo Conselho Federal de Medicina (Resoluções 2077 e 2079) para serviços de urgência e emergência, visando fazer a fila andar e evitar que o paciente permaneça mais de 24 horas numa maca no corredor _ quando deveria ser transferido a uma enfermaria ou UTI de hospital _, vão além da limitação no tempo de atendimento e de transferência para outro serviço.   “A regra aprovada pelo CFM torna ainda obrigatória a passagem de plantão (médico a médico), na qual o profissional que está assumindo o plantão deve tomar conhecimento do quadro clínico dos pacientes que ficarão sob sua responsabilidade”, informa o conselho. Na ficha de cada paciente, deve ser detalhada a assistência prestada, com a identificação dos médicos envolvidos no atendimento, acrescenta. Exige-se, ainda, que plantonista dos Serviços Hospitalares de Urgência e Emergência  conversem pessoalmente ou por telefone com outros colegas envolvidos no atendimento sempre que for solicitado ou que o solicitar.  Lembra o CFM que, “enquanto o paciente internado estiver nas dependências da Urgência e Emergência, as intercorrências deverão ser atendidas pelos médicos plantonistas, caso o médico assistente esteja ausente”.

Divulgação/CFM

Divulgação/CFM

 

Confira as regras detalhadamente, acessando :

http://portal.cfm.org.br/images/PDF/resolucao2077.pdf

http://portal.cfm.org.br/images/PDF/resolucao2079.pdf

Share

Postado por Verônica Almeida

enviar para um amigo

Fique atento às promessas de campanha

Publicado em 11/09/2014, Às 6:16

Atenção usuários do SUS ! Está no ar e na rede a temporada de promessas, nem sempre coerentes. A saúde, área mais criticada pelos eleitores, é carro-chefe de inúmeros discursos nesta corrida eleitoral. É hospital novo aqui e acolá, resultado de exame pela internet, médico que toca em paciente e por aí vai. Ninguém fala em fazer funcionar o que já existe de bom, integrar serviços, proteger hospitais universitários, garantir o controle social e de fato informatizar o SUS no nível da Justiça Eleitoral e da Receita Federal. Carreira única, investir o que deve e assegurar territórios mais saudáveis nem sempre têm lugar agora nem depois da posse. Cabe a você se informar antes de cair em qualquer conversa.

Sidney Farias/Fiocruz-PE

Sidney Farias/Fiocruz-PE

 

Veja o que pensa o pesquisador Sidney Farias:
JC – O que observar no programa dos candidatos ?
SIDNEY FARIAS -Primeiro, se a saúde é tratada como direito. Não basta aumentar o número de leitos, mas informar as pessoas e cuidar do ambiente para que vivam melhor. Não adianta criar hospitais que não se comunicam. A atenção básica vai além da assistência médica. <CF238>
* Sidney é diretor interino do Departamento de Saúde Coletiva da Fiocruz-PE

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Getúlio desrespeitado

Publicado em 09/09/2014, Às 19:07

Nos 60 anos da morte de Getúlio Vargas, o hospital em sua homenagem é o retrato da sucessiva política pública que despreza o valor histórico dos bons serviços à comunidade. Quarta-feira (3/9) o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde e Previdência solicitou à Procuradoria do Trabalho a interdição do bloco G do hospital estadual, por causa de suas rachaduras. Problema, aliás, que fez o mesmo prédio fechar em 2004 e só reabrir em 2006, sem ter sido resolvido. A ampliação da emergência deveria ter sido concluída em maio último, mas também não ficou pronta. Só os problemas progridem, como a frequente suspensão de cirurgias (o hospital fazia 800 por mês) e a insensata construção de um terminal de ônibus em seu terreno, para piorar a saúde dos doentes e servidores.

hgv
JC – Como percebe o Hospital Getúlio Vargas depois de 30 anos de trabalho?
* ISABEL FABRÍCIO – A sensação é de que perderam o amor pelo hospital. Nunca vi situação tão difícil, de desprezo. Quando entrei no HGV ele era do antigo Inamps, com boa estrutura. Hoje trabalhamos nessa situação, com medo das rachaduras e rodeados de problemas.
* Isabel é auxiliar de enfermagem e sindicalista

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Segunda dose para HPV disponível a partir do dia 1º de setembro

Publicado em 29/08/2014, Às 15:15

Começa na próxima segunda-feira, dia 1º de setembro, a nova etapa da vacinação contra HPV. O Ministério da Saúde acaba de convocar meninas de 11 a 13 anos para a  segunda dose da vacina que protege do papilomavírus humano. “A vacinação será disponibilizada nas unidades de saúde e escolas públicas e particulares de todo o Brasil”, informa o governo. Nos três primeiros meses de vacinação da campanha, iniciada em março de 2014, mais de 4,1 milhões de adolescentes foram imunizadas no País contra o vírus que causa câncer de colo do útero. Ao todo, no SUS, são três doses para a proteção completa. A segunda dose deve ser tomada seis meses após a primeira e, a terceira, após cinco anos.

Campanha/ Ministério da Saúde

Campanha/ Ministério da Saúde

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Medicina esportiva em debate no Recife

Publicado em 28/08/2014, Às 12:20

O curso gratuito Principais Lesões no Atleta será ministrado nesta quinta-feira (28-08) no Recife. Quem promove é o laboratório A+Medicina Diagnóstica e as inscrições ainda podem ser feitas pelo 0800 777 5960.  Entre os temas estão Overtraining: causas e consequências e  Como interpretar a ressonância nas lesões. O evento será no Restaurante Spettus Boa Viagem, das 19h30 às 22h, será conduzido pelo especialista em medicina esportiva do Grupo Fleury Dimas Elias Democh Júnior e por Renata Cardoso Martins,radiologista dos setores de ressonância magnética do sistema musculoesquelético e ultrassonografia geral da a+ Medicina Diagnóstica.

 

Atletas como o goleiro Magrão (Sport) estão expostos a lesões musculares/ Foto de Rodrigo Lobo/JC Imagem

Atletas como o goleiro Magrão (Sport) estão expostos a lesões musculares/ Foto de Rodrigo Lobo/JC Imagem

 

Share

Postado por Verônica Almeida

enviar para um amigo

Sexta, 29 de agosto, é o Dia Nacional de Combate ao Tabagismo

Publicado em 28/08/2014, Às 12:00

Faltam três meses para que a regulamentação da Lei Antifumo entre em vigor no Brasil. A partir de dezembro toda propaganda de cigarros estará proibida, inclusive a que vinha sendo permitida nos locais de venda. Fumódromos também não deverão mais existir, mesmo em áreas parcialmente abertas. Apesar dos avanços, é grande o número de ex-fumantes precisando de tratamento e há uma preocupação com novas vítimas: os adolescentes, alvo da indústria. Em junho um fabricante foi multado pelo Procon-SP por divulgar publicidade abusiva nos pontos de venda, que estaria induzindo jovens a fumar. Nesta sexta 29, Dia Nacional de Combate ao Tabagismo, ativistas e médicos alertam para os dois problemas. A ACT, uma frente de mobilização mundial, espera que o Ministério da Saúde regule o mais rápido possível a forma de exposição do fumo no comércio, para evitar novas estratégias de sedução, como portais luminosos. Outra luta é pelo aumento do preço do produto para o consumidor e a manutenção da Resolução 14/2012 da Anvisa, que proíbe o uso de aromas e sabores nos cigarros, hoje suspensa por liminar da Justiça. Confira o que pensa um especialista:

Blancard Torres/ Divulgação RHP

Blancard Torres/ Divulgação RHP

 

JC – O que está faltando no combate ao tabagismo?
Blancard Torres – O que vai controlar a epidemia é a educação. Só a legislação restritiva não resolve, atinge mais os adultos, com danos graves. No Brasil são 24 mortes por hora relacionadas ao fumo e os jovens continuam experimentando o cigarro, porta de entrada para outras drogas. Faltam campanhas nas escolas para mostrar as vantagens de não fumar.
*Pneumologista e coordenador do Grupo de Controle do Tabagismo do Hospital Português

Confira mais sobre o  tema: https://www.youtube.com/watch?v=WKPPuZAo4l8

 

 

ACTBr

 

 

 

 

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

A importância do Huoc diante do risco do ebola

Publicado em 25/08/2014, Às 14:22

A globalização e o fluxo migratório não dão trégua ao risco permanente de trazer e levar doenças a novos territórios. O Nordeste brasileiro, pelo potencial turístico e outros negócios de interesse internacional, é alvo fácil. Por isso, a principal preocupação das autoridades locais com o vírus ebola, em disseminação na África, é com os portos e aeroportos. Mas não basta vigiar a entrada, é importante ter para onde mandar e tratar eventual paciente. E esse lugar, em Pernambuco, chama-se o velho e útil setor de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), conforme já anunciou a Secretaria Estadual de Saúde. Apesar da histórica competência técnica para salvar vidas nas epidemias, quase sempre tem que mendigar investimento e ampliação. Quando atendidos, são temporários, como a outrora enfermaria para a gripe A H1N1, desmontada ainda quando perdurava o recrudescimento da dengue. Tomara que na próxima ameaça (ela sempre vai existir) o DIP do mais experiente hospital da UPE tenha equipe e infraestrutura completas, como devem ser.

Hospital Oswaldo Cruz/Divulgação

Hospital Oswaldo Cruz/Divulgação

 

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Fotos do dia

Pátio do Terço, no bairro de São José, Centro do Recife, trocou o uso residencial pelo comércio
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

> JC Imagem

Pátio do Terço, no bairro de São José, Centro do Recife, trocou o uso residencial pelo comércioO conjunto arquitetônico do Pátio do Terço, no Centro do Recife, é formado pela igreja e 71 imóveisDas 71 edificações do Pátio do Terço, no bairro de são José, Centro do Recife, só três são moradiaO Pátio do Terço, no Centro do Recife, é o palco da Noite dos Tambores Silenciosos, no CarnavalParte do casario do Pátio do Terço, no bairro de São José, Centro do Recife, preserva só a fachada

Coluna no Twitter

OFERTAS
OFERTAS
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM