Jornal do Commercio
foto Verônica AlmeidaTudo sobre saúde pública de Pernambuco.
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

Quer conhecer os efeitos dos agrotóxicos e transgênicos ?

Publicado em 19/05/2015, Às 18:57

Campanha do Consea/ Divulgação no Facebbok

Campanha do Consea “O que os olhos não veem, o corpo sente/ Divulgação no Facebook

Em meio à luta pela manutenção da rotulagem dos alimentos transgênicos , derrubada na Câmara dos Deputados, o Centro Nordestino de Medicina Popular promove seminário, no Recife, para debater agroecologia, soberania e segurança alimentar. O evento é nesta quarta-feira (20/05) ,  das 8h às 17h, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintepe), na Rua General  José Semeão, próximo da Universidade Católica, em Santo Amaro, no Centro do Recife. Um dos tópicos é justamente o efeito dos agrotóxicos e dos transgênicos na saúde, que será debatido pelo médico fitoterapeuta Celerino Carriconde. Durante o evento será discutido também o processo de realização da Conferência Estadual de Segurança Alimentar. A nacional será em novembro. Acompanhe detalhes https://www.facebook.com/CentroNordestinoDeMedicinaPopular. O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional lançou recomendação este mês, pedido reprovação do Senado ao Prrojeto de Lei  4148, de Luiz Carlos Heinze, que retira a rotulagem dos transgênicos.

Leia mais em http://www4.planalto.gov.br/consea

 

 

 

Share

Postado por Verônica Almeida

enviar para um amigo

Greve deve parar ambulatórios de hospitais da UPE

Publicado em 19/05/2015, Às 12:51

Servidores têm feito manifestos em defesa do Cisam/ Divulgação Sindupe

Servidores têm feito vários manifestos em defesa do Cisam/ Divulgação Sindupe

Se você tem consulta marcada para esta quarta-feira (20/05) em algum dos três hospitais da UPE  _ Oswaldo Cruz, Cisam ou no Procape _, no Recife, é bom confirmar o atendimento antes de sair de casa. É o dia da paralisação geral dos funcionários da Universidade de Pernambuco, para cobrar do governo do Estado mais atenção à instituição, suas faculdades e hospitais. José Rosa, presidente do Sindicato dos Servidores, avisa que a orientação é suspender o atendimento nos ambulatórios por 24 horas. As emergênicas da Maternidade da Encruzilhada, do Pronto-Socorro Cardiológico e a triagem de doenças infecciosas do Huoc devem funcionar normalmente.

“Desde o dia 14 os hospitais foram informados, orientados a comunicar o fato aos pacientes e remarcar as consultas”, explicou Rosa. Ele esclarece que o movimento luta pela autonomia financeira da UPE, para garantir a recuperação física e a reposição de pessoal nos três hospitais. “Servidores estão impedidos de entrar de férias ou gozar licença-prêmio porque faltam trabalhadores nos quadros”, denuncia. Além disso, a crise aumentou este ano, com a contenção de despesas determinada pelo governo estadual, que estaria restringindo em no mínimo 30% os orçamento da UPE. “Enquanto isso, a demanda nos hospitais aumentam e há serviços paralisados. No Huoc, há cinco anos o setor de radioterapia espera pela inauguração”, afirma.

Uma passeata deve ser realizada na manhã desta quarta-feira, com concentração às 8h na porta do Oswaldo Cruz, em Santo Amaro. Além dos servidores, professores, estudantes e associações de pacientes participarão do ato.

Manifestos são frequentes em favor do Cisam/Foto de Bernardo Soares/ JC Imagem

Manifestos são frequentes em favor de hospitais da UPE/Foto de Bernardo Soares/ JC Imagem

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Desenvolvimento infantil é desafio no Recife

Publicado em 19/05/2015, Às 9:19

Seminário abriu a Semana do Bebê no Recife/ Foto de Antônio Tenório/ Divulgação PCR

Seminário abriu a Semana do Bebê no Recife/ Foto de Antônio Tenório/ Divulgação PCR

Desde segunda-feira (18 de maio) começou no Recife uma série de palestras, oficinas e atividades educativas voltadas à reflexão sobre o desenvolvimento saudável das crianças. Trata-se da I Semana do Bebê, uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que está sendo executada a partir da adesão da Secretaria Municipal de Saúde. Na cidade onde em média 12 crianças morrem antes de completar um ano a cada mil nascimentos, muita coisa ainda precisa mudar para que elas vençam essa etapa e cheguem à fase adulta livres de doenças e com um papel assegurado na sociedade.

O tema da semana é justamente “Do Nascimento para a Vida: Não Basta Sobreviver, Tem de Desenvolver”. O secretário de Saúde do Recife, Jaílson Correia, compromete-se com “a humanização dos serviços de saúde,  atenção maior ao pré-natal, ao parto e ao acompanhamento do bebê”, informa sua assessoria, indicando como exemplo os espaços Mãe Coruja, em implantação na rede.

Durante a semana está havendo eventos paralelos nos serviços de saúde, para sensibilização dos profissionais e da comunidade. O encerramento será no domingo (24/05), com  atividades lúdico educativas no Bairro do Recife. “A ciclofaixa também será alargada do ponto do Parque da Jaqueira, passando pela Rua Amélia até a Rosa e Silva, para maior circulação e segurança das crianças. Atividades lúdicas e educativas serão realizadas no parque para crianças até seis anos”, informa a prefeitura.

É importante que as ações não se limitem a eventos pontuais e sejam pautadas por visões mais amplas do que de fato é saúde e desenvolvimento. As crianças do Recife precisam de habitações seguras, com saneamento, água constante, rodeadas de áreas verdes, com parques e praças para o lazer,teatro, cinema, e transporte público de qualidade e menos poluente. Também necessitam de educação integral, da creche ao ensino fundamental, com formação esportiva, artística e profissionalizante. No quesito saúde, é preciso assegurar um pré-natal de qualidade em todos os postos de saúde e serviços de referência para o alto risco, ampliar o atendimento a portadores de deficiência e criar ou ampliar o Caps Infantil. Da mesma forma, tem que multiplicar as iniciativas de educação em saúde e formação cidadã e profissional, para que se desenvolvam livres das drogas, lícitas e ilícitas.

Entenda a iniciativa do Unicef:

http://www.semanadobebe.org.br

Share

Postado por Verônica Almeida

enviar para um amigo

Manifesto no Recife marca o Dia da Luta Antimanicomial

Publicado em 18/05/2015, Às 7:58

Ativistas tomaram as ruas do Centro do Recife/ Foto de Diego Nigro/ JC Imagem

Ativistas tomaram as ruas do Centro do Recife/ Foto de Diego Nigro/ JC Imagem

Na manhã desta segunda-feira (18 de maio), Dia da Luta Antimanicomial, defensores da causa estão reunidos no Parque 13 de Maio, no Centro do Recife, para depois sair em passeata até a Praça do Carmo, numa manifestação reivindicatória – contra as terceirizações, por exemplo, e ao mesmo tempo de sensibilização da sociedade para o respeito e a inclusão social das pessoas com transtornos mentais. A arte, um dos caminhos para a prevenção da doença e reabilitação dos pacientes, estará em evidência no  movimento que tem a participação de profissionais de saúde, pessoas com transtornos, seus familiares e outros adeptos.

O Bloco Percussivo Loucura Urbana, formado por usuários dos Caps Esperança, Espaço Azul e CEPTRA, vai animar o ato sob a  regência do Maestro Gil Amâncio, com o apoio do Instituto Ser Educacional, Escola de Samba Gigante do Samba e Nação Maracatu Origem Africana.

“Precisamos provocar o poder público diante do descompromisso com a Reforma Psiquiátrica Antimanicomial, diante da opção de um conjunto de serviços fragmentados, precarizados, terceirizados, negligenciados, subfinanciados com trabalhadores sem condições mínimas de ofertar cuidado a sujeitos em sofrimento (e seus familiares) que são cada vez menos protagonistas de seus projetos de vida”, diz manifesto divulgado pelos ativistas.

É que em Pernambuco, embora muitos manicômios tenham fechado as portas nos últimos dez anos, a rede substitutiva, formada por Caps e residências terapêuticas não foram ofertados na mesma proporção. O atendimento de emergência, que deveria ser prestado em hospitais gerais, é restrita ao Hospital Psiquiátrico Ulysses Pernambucano, e os centros de convivência e de cuidados intensivos, para apoiar outras etapas do tratamento, ainda não foram implantados.

A arte é o caminho da prevenção e do tratamento na saúde mental/ Ricardo Labastier/ JC Imagem

A arte é o caminho da prevenção e do tratamento na saúde mental/ Ricardo Labastier/ JC Imagem

Quer saber mais sobre o tema? Pouca coisa mudou depois da reportagem especial publicada há um ano. Acesse:

especiais.jconline.ne10.uol.com.br/loucura/

No Rio de Janeiro, o Hotel SPA da Loucura é um bom exemplo da vivência da arte na reabilitação e inclusão www.facebook.com/pages/Hotel-e-Spa-da-Loucura

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Estado pede à população que procure postos de saúde no início da dengue

Publicado em 16/05/2015, Às 7:08

UPAs enxugam quadros para se adequar ao orçamento sem reajuste/ Ricardo Labastier/ Jc Imagem

UPAs devem ser evitadas no início da dengue por quem conta com posto de saúde perto de casa/ Ricardo Labastier/ Jc Imagem

Diante da epidemia de dengue generalizada no Estado, a Secretaria de Saúde de Pernambuco está recomendando à população que, ao surgirem os primeiros sintomas da doença, busque inicialmente os postos de saúde e policlínicas das redes municipais. Outros serviços, como UPAs e hospitais, só devem ser procurados quando houver necessidade de acompanhamento laboratorial, hidratação venosa ou sinais de agravamento, com vômitos, dor abdominal, falta de ar ou sangramento.
A recomendação é uma resposta às críticas de usuários das UPAs, que têm relatado superlotação, longa espera por atendimento, diagnóstico impreciso e liberação para casa sem avaliação médica, além de problemas estruturais. Na última semana, leitores do JC, usuários do aplicativo comuniQ, denunciaram dificuldades na UPA da Imbiribeira, no Recife. “Assistência social do local informou que não havia previsão de atendimento”, contou Adriana Santos.Uma semana antes, Nathália Azevedo reclamou de ar-condicionado quebrado na UPA de Barra de Jangada, em Jaboatão dos Guararapes. No dia 7 de maio, Kleidson Aguiar denunciou suspensão de atendimento na UPA da Caxangá por falta d’água. A família do morador de Paulista que morreu de dengue já havia questionado a qualidade do atendimento. Ele passou pelas UPAs de Olinda e de Igarassu, foi liberado para casa na primeira e permaneceu, em estado grave,  mais de 12 horas na segunda, quando precisava de internamento urgente em hospital de referência. Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde disse reconhecer “o aumento da demanda de pacientes para os serviços de urgência e emergência, incluindo as UPAs, em decorrência do grande número de casos suspeitos de dengue no Estado”. Alegou que capacita profissionais e que está “monitorando, permanentemente, a demanda e escalas para manter os serviços funcionando plenamente”. Desde janeiro, o Estado notificou mais de 37 mil casos suspeitos de dengue em 180 das suas 185 localidades.

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Vaga de UTI para criança que morreu no HBL só surgiu em Caruaru

Publicado em 15/05/2015, Às 15:28

Criança morreu no Hospital Barão de Lucena esperando vaga em UTI/ JC Imagem

Criança morreu no Hospital Barão de Lucena esperando vaga em UTI/ JC Imagem

A direção do Hospital Barão de Lucena (HBL) esclareceu, há pouco,  que a vaga de UTI para a  menina Ingrede Vitória, de 8 meses, que faleceu nesta quinta-feira (14/05) na emergência pediátrica da unidade, só foi conseguida em Caruaru, no Agreste, há duas horas do Recife. “A paciente  deu entrada na unidade na última terça-feira (12/05), transferida do Hospital Tricentenário. Ela chegou ao HBL com parada cardiorespiratória e em situação gravíssima. De imediato, foi solicitada vaga de UTI para a menina”, diz nota liberada pela Secretaria Estadual de Saúde.

O informe explica que a equipe médica contra-indicou a transferência da criança para Caruaru, por causa do estado de saúde dela. E afirma que mesmo na emergência do HBL, Ingrede “estava recebendo toda a assistência necessária, inclusive em estrutura com suporte idêntico a de uma UTI”.  Atribui a morte à gravidade do caso. A direção do Barão de Lucena diz se solidarizar com os familiares da garota e coloca-se à disposição para mais esclarecimentos.

Segundo a mãe da menina, Sheila Santos, moradora de Peixinhos, em Olinda, Ingrede estava sofrendo desde domingo, quando foi levada ao Hospital Tricentenário, conveniado ao SUS, em Olinda.

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Criança de 8 meses morre esperando vaga de UTI

Publicado em 15/05/2015, Às 14:50

Criança morreu no Hospital Barão de Lucena esperando vaga em UTI/ JC Imagem

Criança morreu no Hospital Barão de Lucena esperando vaga em UTI/ JC Imagem

A família da menina Ingrede Vitória Felipe do Carmo, de apenas oito meses de vida, denuncia que a garota morreu na Emergência Pediátrica do Hospital Barão de Lucena, no Recife, esperando vaga em leito de UTI. “Levamos a criança na noite de domingo (10/05)  ao Hospital Tricentenário, em Olinda, e na segunda-feira (11/05) ela foi transferida ao Barão de Lucena,  na Iputinga, já grave, com insfecção respiratória. Mesmo assim foi mantida na emergência, onde teve duas paradas”, contou a mãe, Sheila Santos, inconformada. A bebê morreu na noite desta quinta-feira (14/05).

Carlos Freitas, ouvidor da Aduseps e conselheiro de saúde, afirma que Ingrede não era a única criança grave que aguardava atendimento em UTI no Barão de Lucena na última quinta (14/06). Segundo ele, pelo menos outras quatro eram mantidas no mesmo serviço em situação similar. O problema se aplica a mais  hospitais estaduais com o Barão, e outros conveniados ao SUS. “É preciso garantir o direito à vida, previsto na Constituição, no Estatuto da Criança e na Lei do SUS”, defende. Têm sido constantes as reclamações de parentes de pacientes graves que ficam retidos também nas UPAs, aguardando vaga em Unidade de terapia Intensiva.

Aguardamos resposta da Secretaria Estadual de Saúde.

Superlotação de unidades neonatais e pediátricas é rotina em grandes hospitais estaduais, a exemplo do Cisam, denunciado pelo Sindicato dos servidores da UPE/Sindupe

Superlotação de unidades neonatais e pediátricas é rotina em grandes hospitais estaduais, a exemplo do Cisam, denunciado pelo Sindicato dos Servidores da UPE/Sindupe

Share

Postado por Verônica Almeida

enviar para um amigo

Resposta defintiva sobre origem do Zika brasileiro pode demorar um mês

Publicado em 15/05/2015, Às 13:15

Laboratório de Virologia Molecular do Instituto Evandro Chagas teste sangue de doentes do RN/ Divulgação Fiocruz/PR

Laboratório de Virologia Molecular do Instituto Carlos  Chagas teste sangue de doentes do RN/ Divulgação Fiocruz/PR

Os estudos conclusivos sobre a cepa do Zika vírus circulante no Rio Grande do Norte podem demorar ainda um mês. A previsão é da chefe do Laboratório de Virologia Molecular do Instituto Carlos Chagas (ICC, unidade da Fundação Oswaldo Ctuz, no Paraná), Cláudia Santos. Tudo vai depender, no entanto, da chegada de reagentes importados. “Assim que forem liberados, levamos um mês para ter a conclusão”, explicou na quinta-feira (14/05), por telefone, ao Mais Saúde. Uma pesquisa comandada por ela  confirmou a presença do Zika vírus em oito amostras humanas vindas do RN. O sequenciamento genético já foi iniciado e os primeiros resultados apontam para uma cepa asiática. “Mas são ainda preliminares”, afirmou Claúdia.

O  ICC divulgou nota na quinta-feira (14/05), anunciando os resultados. Segundo a virologista, o estudo foi realizado por meio de uma parceria com a Universidade Federal do Rio Grande Norte. “Recebemos 21 amostras coletadas em abril deste ano e enviadas ao nosso Laboratório pelo médico infectologista Kleber Luz. Desde o final do ano passado pessoas estavam apresentando sintomas como manchas vermelhas, dor e inchaço nas articulações, dores de cabeça, febre de no máximo 38 C “, explicou. Alguns também apresentavam olhos vermelhos. Desde março eles preparavam o estudo.

De acordo com a virologista, nos casos estudados, os leucócitos e plaquetas não demonstraram alteração significativa nos exames de sangue. Na dengue, esses marcadores são bem destacados, com queda nos dois. Essas podem mais diferenças entre as duas enfermidades, mas Zika, por estar chegando só agora entre nós, vai exigir muito estudo e atenção dos médicos e cientistas experientes.

Virologista Cláudia Santos detectou o Zika com a técnica RT PCR/ Divulgação

Virologista Cláudia Santos detectou o Zika com a técnica RT PCR/ Divulgação

A pesquisadora explica que existem dois tipos de cepas do Zika vírus, uma asiática e outra africana. O ICC observa que “além de constatar a circulação do vírus no país, o estudo reforça a importância da vigilância epidemiológica neste contexto. Transmitido nas áreas urbanas pelo mosquito Aedes aegypti – mesmo vetor responsável pela transmissão da dengue e do chikungunya –, o Zika vírus foi introduzido no Brasil, possivelmente, por turistas que vieram assistir à Copa do Mundo em 2014.”

Para conhecer mais sobre o ICC e o Zika, acesse http://www.icc.fiocruz.br/?page_id=2007

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

A nova zikizira do SUS, o perigo triplicou

Publicado em 15/05/2015, Às 10:00

Ministério alertou em novembro para risco de epidemia de chicungunha/ Divulgação MS

Ministério alertou em novembro para risco de epidemia de chicungunha/ Divulgação MS

A chegada do vírus Zika, agora reconhecida oficialmente pelo Ministério da Saúde e devidamente confirmada por mais dois laboratórios (além da UFBA, Evandro Chagas, no Pará, e Fiocruz do Paraná), expõe o lado bom da ciência e do SUS, que reformulou o controle de doenças nos últimos 15 anos. Em menos de seis meses já foi possível desvendar o que estava por trás da estranha enfermidade, mas muito parecida com a dengue. Por outro lado exige avanços nesses dois campos, dentro e fora do País (não há no mundo sorologia para Zika). Mostra ainda as nossas fragilidades. Por exemplo: os reagentes importados que os pesquisadores usam para a pesquisa do vírus demoram para ser liberados pela Alfândega. Além disso, nas superlotadas urgências, a triplicidade de viroses pode piorar a disputa por assistência.

Confira a charge animada de  Ronaldo Câmara

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Pesquisa tenta desvendar se Zika já está em Pernambuco

Publicado em 15/05/2015, Às 6:24

Zika vírus já pode ter chegado a Pernambuco. Para esclarecer isso, uma nova pesquisa está começando, no Recife, com pacientes que procuram a emergência do Hospital Santa Joana com sinais de dengue. O médico Carlos Brito, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco, é colaborador do estudo, coordenado pelo Laboratório de Virologia da Fundação Oswaldo Cruz na cidade.

“Já conseguimos 50 amostras e queremos chegar a  300, para tentar isolar o vírus ou fazer a pesquisa do DNA (PCR). O Zika pode produzir anticorpos tardiamente. Por isso, poderemos convocar o doente também depois dos 30 dias”, explica Carlos Brito. O testes podem ser positivos para dengue por uma reação cruzada ou co-infecção com zika vírus, explica o médico. Conjuntivite , inchaço das mãos e pés e muitas manchas vermelhas no corpo chamaram a atenção de Brito.

Além de Zika vírus, estão sendo pesquisados Mayaro, chicungunha e a própria dengue, completa a virologista Marli tenório, da Fiocruz. Ela acredita que a doença predominante seja dengue. Na última quinta-feira (14/05) a Secretaria Estadual de Saúde confirmou que a epidemia da doença é generalizada.

No Brasil, há circulação de Zika vírus no Rio Grande do Norte e na Bahia, já comprovada.

 

Share

Postado por Verônica Almeida

Palavras-chave

enviar para um amigo

Fotos do dia

Corredor Norte-Sul só deve ficar pronto em julho
Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

> JC Imagem

Corredor Norte-Sul só deve ficar pronto em julhoCorredor Norte-Sul só deve ficar pronto em julhoCorredor Norte-Sul só deve ficar pronto em julhoCorredor Norte-Sul só deve ficar pronto em julhoCorredor Norte-Sul só deve ficar pronto em julho

Coluna no Twitter

OFERTAS
OFERTAS
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM