Arquivos da categoria: UFPE

UFPE

20 out 2014

Conheça novo curso de comunicação social da UFPE, no câmpus de Caruaru

Novo curso começará a funcionar no segundo semestre de 2015. Foto: Passarinho /  ASCOM UFPE

Novo curso começará a funcionar no segundo semestre de 2015. Foto: Passarinho / ASCOM UFPE

Da Assessoria de Comunicação da UFPE

A partir do segundo semestre de 2015, a UFPE vai oferecer,  no câmpus de Caruaru, no Agreste, o novo curso de comunicação social com ênfases em mídias sociais e produção cultural. Serão 40 vagas, no turno da tarde.  A nova graduação foi aprovada semana passada pelo Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão. As 40 vagas serão disponibilizadas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação.

O curso será voltado para a formação de produtores culturais e comunicadores capazes de lidar com novos modelos de produção e disseminação de informação via internet e redes sociais. O aluno vai optar por qualquer uma das duas formações. Ou, se preferir, contemplar ambas as ênfases num currículo flexível. O novo curso terá nove períodos.

A proposta, inédita em Pernambuco, segundo o professor Amilcar Almeida Bezerra, que vai coordenar a nova graduação, tem como objetivo propiciar uma formação adequada às novas demandas do campo da comunicação social.

“A convergência das mídias em ambientes digitais e o aumento do volume e da circulação de informações em escala global criam a necessidade de um profissional de comunicação com sólida formação intelectual, capaz de gerenciar de forma competente diversos tipos de informação e transitar por múltiplas habilitações”, destaca o professor.

A estrutura curricular está organizada em dois grupos de disciplinas: as obrigatórias (reunidas nos três primeiros períodos – ciclo básico – e mais as disciplinas de Trabalho de Conclusão de Curso, no final) e as eletivas (a partir do 4º período, divididas por ênfase). A proposta é que, a partir do 4º período, o aluno tenha a oportunidade de escolher, entre diversas opções, quais disciplinas irá cursar.

As disciplinas estão agrupadas em duas ênfases: Mídias Sociais e Produção Cultural. Existem ainda as eletivas livres, que não estão vinculadas a nenhuma ênfase. Para receber o diploma de ênfase o aluno deverá cursar todas as disciplinas relacionadas para a ênfase escolhida.

O curso contará com laboratório de produção audiovisual com estúdio e ilha de edição, laboratório de fotografia e laboratórios equipados com PCs para uso corrente dos alunos em atividades de pesquisa e produção de conteúdos.

16 out 2014

Na UPE, disputa é mais acirrada no interior

estudantes-2R

Alunos da rede pública, Jackson e Steffany vão concorrer pelo sistema de cotas. Foto: Ricardo B. Labastier

Os números deste ano do vestibular tradicional e do Sistema Seriado de Avaliação (SSA) da Universidade de Pernambuco (UPE) revelam a migração de candidatos para o interior do Estado. Se há dez anos o mais comum era haver jovens que vinham para a capital em busca de formação superior, hoje a concorrência mostra que existe bastante interesse pelas vagas de fora da Região Metropolitana. Embora a graduação em direito no câmpus de Camaragibe, no Grande Recife, apareça como a mais procurada nos dois processos seletivos (139,29 por vaga no vestibular e 66,18 no SSA), outros seis cursos do interior despontam entre os 10 mais disputados no vestibular.

“Avançamos na interiorização da universidade, o que foi positivo para criar mais oportunidades para o estudante do interior. Mas chegamos ao limite prudencial. Há uma carência enorme de professor e servidor técnico. Precisamos também de mais investimentos nas instalações, nos laboratórios. A falta de pessoal é o que trava tudo”, destacou o reitor da UPE, Carlos Calado, que deixa o cargo no final de dezembro, após oito anos à frente da instituição.

Pedro Falcão, que assume o comando em janeiro, está correndo para conseguir pelo menos que antes de passar o bastão para Paulo Câmara, o governador João Lyra abra concurso para 280 vagas de docente que foi aprovado por lei no início deste ano. Mas segundo o reitor Carlos Calado, os feras não precisam se preocupar com o quadro de professores incompleto, pois o problema é maior para os veteranos.

Alunos da rede pública, Jackson Almeida e Steffany Santos, 17 anos, vão concorrer pelo sistema de cotas. “Escolhi administração no Recife. Não me assusta a concorrência (24,96), prefiro confiar que uma vaga será minha”, diz Jackson. “Sonho em cursar psicologia. Concorro em Garanhuns porque só tinha lá como opção”, comenta Steffany.

SISU – Esse será o último vestibular tradicional realizado pela UPE. A partir de 2015, metade das vagas das graduações será disponibilizada no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (MEC), que já conta com as vagas das Federais Rural (UFRPE) e do Vale do São Francisco (Univasf). E que terá, na próxima edição, em janeiro, também as vagas da Federal de Pernambuco (UFPE). Na UPE, os outros 50% das vagas continuarão sendo disputados no SSA, onde os candidatos realizam três provas, ao final das três séries do ensino médio.

Houve uma diminuição de 3,6% na quantidade de inscritos este ano, em comparação ao ano passado. O vestibular teve 39.491 candidatos. A primeira fase é Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos dias 8 e 9 de novembro. A segunda etapa realizada pela instituição será dias 7 e 8 de dezembro. No Sistema Seriado de Avaliação (SSA) foram 48.893 inscritos. As provas do SSA 1 e 2 serão dias 30 de novembro e 1º de dezembro. O SSA 3 acontecerá em 16 e 17 de novembro.

vestibular_16_outubro

15 out 2014

Baixos salários afastam os feras das licenciaturas

Apesar dos baixos salários, Lucas quer ser professor. Foto: Edmar Melo /  JC Imagem

Apesar dos baixos salários, Lucas quer ser professor. Foto: Edmar Melo / JC Imagem

Lucas Ferreira de Oliveira, 16 anos, quer ser professor. Vai disputar vaga no vestibular da Universidade de Pernambuco (UPE) para a licenciatura em geografia. Na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), também planeja se inscrever na mesma graduação. Ao contrário de países onde a carreira do magistério é concorrida e valorizada, no Brasil os docentes têm pouco a comemorar, hoje, no dia dedicado a eles, no que diz respeito a bons salários e boas condições de trabalho.

“Quando digo que quero ser professor, o que mais escuto é que vou passar fome. Ouço mais críticas que incentivos. Acredito que isso depende do profissional. As dificuldades existem, mas acho que dedicação faz a diferença”, comenta Lucas, aluno do 3º ano da Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) Porto Digital, localizada no Bairro do Recife, área central da capital pernambucana.

Ano passado, o vestibular da UFPE teve 3.825 candidatos interessados em concorrer a vagas em 23 licenciaturas. Número menor que o total de feras que desejaram entrar no curso de medicina, o mais disputado da universidade. Foram 4.229 candidatos sonhando com o jaleco de médico.

“O salário não estimula, assim como a carreira. A valorização docente tem que fazer parte dos planos estaduais e municipais de educação. Temos evasão alta na universidade, sobretudo nas licenciaturas”, diz a pró-reitora de Graduação da UFPE, Ana Cabral. As bolsas do Pibid (programa do Ministério da Educação para iniciação à docência), segundo ela, ajudam os futuros professores a conhecerem a realidade que vão enfrentar após formados.

Para o diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, somente com o pagamento de melhores salários o magistério se tornará atrativo no Brasil. “Nossa categoria, sobretudo na rede pública, está envelhecendo e há pouca renovação. Para atrair a juventude, tem que pagar melhor ao professor. Se tivermos bons salários aliados às novas tecnologias, poderemos, quem sabe, conquistar os jovens para o magistério”, opina Heleno, que preside, em Pernambuco, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintepe).

15 out 2014

Matemática pesa para fera de medicina

Medicina é um dos cursos mais disputados na UFPE. Foto: Alexandro Auler / JC Imagem

Medicina é um dos cursos mais disputados na UFPE. Foto: Alexandro Auler / JC Imagem

Feras que pretendem estudar na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) ficaram surpresos com alguns pesos que vão ser aplicados nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), dentro do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O peso 3 no teste de matemática, para o curso de medicina, graduação mais concorrida nos últimos anos, é um exemplo.

“Poderia ter havido um equilíbrio maior na distribuição dos pesos de medicina. Matemática nos causou surpresa. Acho que a redação merecia mais atenção. Terá peso 1. Poderia ser 2”, observa o coordenador do ensino médio do Colégio Santa Maria, Rodrigo Martins. “Mas, no geral, nossos alunos estão preparados para todas as provas do Enem, independentemente do peso ou da nota mínima”, complementa.

Na disputa pelo curso médico da UFPE, Gabriel Sá Leitão, 17 anos, gostaria que a redação tivesse sido mais valorizada. “Me surpreendi com o peso de matemática, mas estranhei a redação. A concorrência por uma vaga em medicina é muito alta. Na prova de redação é que podemos ter algum diferencial em relação aos concorrentes”, comenta Gabriel.

Na reta final de preparação para o Enem, Gabriel diz que agora vai privilegiar mais a matemática e as disciplinas da prova de ciências da natureza (química, física e biologia), as mais exigidas em medicina. O coordenador do Santa Maria informa que também deve fazer alguns ajustes nas revisões, de modo a atender os pesos divulgados pela UFPE. A avaliação acontecerá daqui a 25 dias, em 8 e 9 de novembro.

Segundo a pró-reitora de graduação da UFPE, Ana Cabral, os colegiados de todos os 99 cursos de Recife, Vitória de Santo Antão (Zona da Mata) e Caruaru (Agreste) definiram os pesos a partir do perfil dos alunos que eles desejam que ingressem nas suas graduações. “Os pesos aplicados até o ano passado pela Covest, no vestibular, também serviram como referência”, destaca Ana Cabral.

14 out 2014

UPE divulga concorrência nesta quarta-feira

Sistema Seriado de Avaliação terá, este ano, 40% das vagas. A partir de 2015 serão 50%. Foto: Bernardo Soares / JC Imagem

Sistema Seriado de Avaliação terá, este ano, 40% das vagas. A partir de 2015 serão 50%. Foto: Bernardo Soares / JC Imagem

Expectativa dos feras nesta quarta-feira para divulgação da concorrência do vestibular tradicional e do Sistema Seriado de Avaliação (SSA) da Universidade de Pernambuco. As informações serão repassadas às 9h30 pelo reitor Carlos Calado e pelo presidente da comissão de vestibular, Ernani Martins.

Este será o último vestibular tradicional aplicado pela universidade. A partir de 2015, 50% das vagas das graduações vão integrar o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, que já conta com as vagas das Federais Rural (UFRPE) e do Vale do São Francisco (Univasf). E que terá, na próxima edição, em janeiro, também as vagas da Federal de Pernambuco (UFPE).

A outra metade das vagas continuará sendo disputada no SSA, onde os candidatos realizam três provas, ao final das três séries do ensino médio.

14 out 2014

UFPE corrige pesos dos cursos de letras

Reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão aprovou pesos para o Sisu. Foto: Passarinho / UFPE

Reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão aprovou pesos para o Sisu. Foto: Passarinho / UFPE

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) divulgou uma nova tabela de pesos que serão aplicados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Houve correção em cinco cursos, todos de letras, no câmpus Recife (bacharelado e as licenciatura em português, inglês, francês e espanhol).

Com a correção, a prova de ciências da natureza, para esses cursos, terá peso 1 e não 3 como foi divulgado ontem pela universidade. A redação terá peso 2,5 (antes havia saído que seria peso 2). A outra alteração é na prova de linguagens, que terá peso 3 (na primeira tabela aparecia como peso 1).

Nas demais graduações os pesos estão corretos, conforme a UFPE.

Confira a tabela corrigida, com as mudanças em letras

14 out 2014

Como calcular sua nota para o Sisu

concursoCom a divulgação dos pesos que a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) vai aplicar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os feras agora devem saber como calcular a média final que irão concorrer no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (MEC).

Devido à Teoria de Resposta ao Item (TRI), metodologia aplicada no Enem, não é possível saber qual será a sua média na avaliação, conhecendo apenas o número de acertos em cada prova. Mas no Sisu, sim, isso é possível.

O Enem tem cinco provas: redação, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e linguagens. Para calcular sua média no Sisu, o professor de matemática Marcelo Menezes, do Espaço Certo, ensina:

– Multiplique cada nota pelo peso da prova de acordo com o seu curso na UFPE

– Some os cinco resulutados dessa operação anterior

– Pegue o resultado e divida por 10. Eis sua média.

Exemplificando: um fera de medicina tirou 600 em redação, 500 em ciências humanas, 550 em ciências da natureza, 400 em matemática e 530 em linguagens

Redação: 600 x 1 (peso) = 600
C. humanas: 500 x 1 = 500
C. natureza: 550 x 3 = 1.650
Matemática: 400 x 3 = 1.200
Linguagens: 530 x 2 = 1.060

Somando 600 + 500 + 1.650 + 1.200 + 1.060 = 5.010
Dividido por 10, a média final é 501

13 out 2014

Música, dança e química da UFPE farão seleção separada

Cursos de dança e música são oferecidos no Centro de Artes e Comunicação, no Recife. Foto: Marcelo Soares / JC Imagem

Cursos de dança e música são oferecidos no Centro de Artes e Comunicação, no Recife. Foto: Marcelo Soares / JC Imagem

O Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFPE aprovou resolução, na tarde desta segunda-feira, para processo seletivo nas graduações em música, dança e bacharelado em química, todos no câmpus Recife. Esses três cursos não vão fazer parte do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação (MEC).

Será elaborado um edital à parte. As três graduações oferecem, juntas, 130 vagas. Para concorrer a elas os vestibulandos terão que fazer o Enem.

Em música, metade da nota do candidato será a média do Enem e metade vai ser a nota dele no teste de habilidade específica.

Em dança, a nota para concorrer será apenas o Enem, mas o fera passa por uma entrevista. Aquele que for considerado apto na entrevista prossegue na disputa. Quem for tido como inapto não concorrerá às vagas.

No bacharelado em química são aprovados, apenas com a média geral do Enem, 60 candidatos, quantidade três vezes maior que o número de vagas ofertadas (20). Todos cursam duas disciplinas por um semestre. Os 20 melhores colocados nesse semestre conquistam as vagas e continuam a graduação.

Veja os pesos do Enem para esses três cursos e as notas mínimas em cada prova.

 

13 out 2014

Confira pesos das provas do Enem na UFPE

Reitor Anísio Brasileiro (centro) presidiu reunião do Conselho que aprovou os pesos. Foto: Passarinho/Ascom UFPE

Reitor Anísio Brasileiro (centro) presidiu reunião do Conselho que aprovou os pesos. Foto: Passarinho/Ascom UFPE

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aprovou, na tarde desta segunda-feira, os pesos que as provas do Enem terão em cada curso de graduação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Além dos pesos, a universidade determinou uma nota mínima que o fera deve tirar em cada uma das cinco provas da avaliação nacional (ponto de corte).

Uma novidade é que a redação, que no vestibular tinha peso igual para todos os candidatos, passa a ter pontuação diferente no Enem, conforme o curso escolhido.

O percentual de cotas para egressos de escola pública passa para 37,5% (ano passado foram 25%). Outra novidade é a oferta de bônus de 10% na nota do Enem para o vestibulando que concorrer às vagas dos câmpus de Vitória de Santo Antão e Caruaru. Para ter direito ao benefício o fera deve ter concluído o ensino fundamental e cursado todo o ensino médio em escola regular (pública ou privada) localizada na Zona da Mata ou no Agreste.

Confira os pesos para cada curso:

http://p.download.uol.com.br/jc/vestibular2014/blogdofera/relacao-dos-cursos-pesos-e-notas-minimas-sisu-1.pdf

http://p.download.uol.com.br/jc/vestibular2014/blogdofera/relacao-dos-cursos-pesos-e-notas-minimas-sisu-2.pdf

13 out 2014

UFPE anuncia nesta segunda-feira pesos das provas do Enem

ufpe_ARNALDOSerá realizada, na tarde desta segunda-feira, às 15h, reunião do Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), para definir os pesos que serão aplicados nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Com a extinção do vestibular, a partir de agora as vagas da UFPE serão preenchidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação. Cada universidade decide se aplica pesos nas cinco provas do Enem. A avaliação acontecerá nos dias 8 e 9 de novembro.